• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

25/03/2011

Inziné

(Isabelle Câmara)


Como varinha de condão
Brincando de fazer magia
Quero sonhar minha criança
Que ora dorme na poesia

Sussurrar no seu ouvido
Feito brisa faceira:
"Vem, menina linda
Banhar-se na cachoeira"

Cantar cantigas de roda
Ouvir histórias do avô
Dançar debaixo da chuva
Sonhar com o puro amor

Rodar em volta da fogueira
Subir nos muros, jogar pião
Correr na pedras feito raio
Pensar que o céu é feito de algodão

Desenhar flores nas nuvens
Ou monstros nos azulejos do banheiro
Pegar bicho de pé que nem piolho
Vestir-se com as folhas de um salgueiro

Esconder-se nos guarda-roupas dos vizinhos
Ou nos recantos da padaria
Fugir da babá, sinônimo de liberdade
Encontrar na procura uma alegria

Andar de calcinha pelas ruas
Lembrar a perdida inocência
Ganhar verrugas contando estrelas
Acordar a própria essência

Adorar brincadeiras de menino
Brigar com o irmão por causa de melancia
Descobrir as bonecas quando moça
Morar no fantástico mundo da fantasia

Ter medo de minhocas e lagartas
Achar que adulto não faz cocô
Que os artistas moram dentro da TV
Que bilboquê é io-iô

Que "pia" se escreve com um monte de letras
Que Silvester Stalone é seu marido
Que mãe é só mãe, não tem nem nome
E que tudo isso ainda vai fazer sentido



 Isabelle Câmara escreve em O Beijo da Borboleta e Acho que Cuspi um Sapo mas seus blogs só estão abertos a leitores convidados.

10 COMENTÁRIOS:

Malu

Lindo e encantador esse descrever dessas coisas frouxas e, aparentemente sem sentido, que nascem dentro de nós.
Abraços

chica

Muito lindo e doce!Adorei!beijos,chica

hanukká

*•¨* ♥¨• ♥¨* •¨ ♥* ¨•¨♥¨•* ¨♥¨*.¨♥¨.*¨. ♥¨*
Vim desejar um fim de semana de bençãos.

Filipenses, 4:6 - Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.

Deixo um abraço de paz e alegria.
*•¨* ♥¨• ♥¨* •¨ ♥* ¨•¨♥¨•* ¨♥¨*.¨♥¨.*¨. ♥¨*

Isabelle Câmara

adorei seu comentário, Malu... "descrever dessas coisas frouxas e, aparentemente sem sentido, que nascem dentro de nós". um lindo fim de semana a todos!

Dora Regina

Lendo sua poesia me deparei com coisas tão simples mas que no mundo atual parecem utópicas.
Um grande abraço com desejos de um lindo fim de semana!

DoraDuarte

Descrevestes versos lindos, puro como a infância, que de muito não tem nexo para nós, mas faz sentido para eles. Um bfds...bjos

Isabelle Câmara

grata pelos comentários! fico feliz em saber que vcs gostaram. bjs!

RECANTO DOS AUTORES

Isa,que lindo e terno poema infantil!Coisas que criança faz e pensa,com sua inocencia que tento nos encanta!Adorei!Bjs,

Maria Emilia Xavier

Ah...Você parece que conheceu a criança que vive em mim... descreveu-a inteira e me fez viajar por mim...Terno, doce e absolutamente lindo seu versejar. Parabéns, adorei.

LUCONI

Poetisa que texto delicioso,por instantes voltei a infância, e revivenciei momentos inesquecíveis da infância, parabéns lindo demais, beijos Luconi

Compartilhe