• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

01/10/2011

Mudança





Mudança
( Maria Alice Cerqueira)


Um pequeno gesto, uma palavrinha carinhosa, e um pequenino sorriso, vindo do fundo coração, podem mudar tudo para bem melhor. Mas a rotina do nosso dia a dia, não nos deixa ver o que realmente deveríamos, e aí metemos os pés pelas mãos.

Se pudéssemos viver cada dia como se fosse o ultimo, na incerteza do que o amanha virá, com certeza que não pensaríamos tanto em nós mesmos, mas sim nos que nós mais amamos, fazendo reinar a paz e o amor dentro dos seus corações.

Se pudéssemos dar um abraço, como se fosse o primeiro, e não o ultimo, não haveria despedidas a fazer, devido a levar conosco a certeza da esperança de que, dependendo do lugar que formos e estivermos seremos uma gotinha de amor; aonde mais cedo ou mais tarde, vamos nos encontrar de novo.

Se pudéssemos conversar mais sobre o que está impedindo de ser quem somos na verdade. Seres que amam a Deus, com o coração puro, e com ausência da malicia na alma, nos tornaremos pessoas felizes.

Se pudéssemos pedir socorro toda a vez que necessitamos ao sermos atropelados pelo pior dos sentimentos, a rejeição, incompreensão, e a dor de nos sentirmos feridos por não entenderem o que se passa dentro do nosso eu, se abriria a porta da paz.

Se pudéssemos ser livres, de ir e vir sem ferir e nos machucar quem mais queremos bem. Mas não somos nós que controlamos o futuro, mas sim ele a nós. Encontraríamos o segredo do amor.

Se pudéssemos dizer ai a tudo que nos fere, não conseguíamos sobreviver á nossa própria existência.

Se pudéssemos falar mais sobre nós mesmos, com certeza que a saudade seria satisfeita, e ai não haveria a necessidade de abraçar tanto, pois num simples e cinge-lo abraço, estaria todo o que se tem presente dentro do coração.

Se pudéssemos falar tudo o que sentimos, a amizade não corria o risco de ser ferida com um pequeno gesto, palavra, ou ação, mas fortalecida com a certeza de que somos muito queridos pela mesma.

Se pudéssemos ter o coração puro que nem o de uma criança, e agir com a maturidade de um adulto, encontraríamos a sabedoria.

Se pudéssemos falar sobre a ferida, em vez do impulso da dor, com certeza que encontraríamos alegria do fraterno amor.

Se pudéssemos comandar o tempo, faríamos tudo o que podíamos para que ele não passasse, para não destruir hoje, o que foi criado ontem com tanta delicadeza. A Amizade de Deus.

Se pudéssemos ouvir aquilo que gostaríamos daquele que queremos bem, talvez não agíssemos da forma que agimos, da qual não gostamos nem um pouco, devido a não trazer alegria para o mesmo, mas sim tristeza para o seu coração.  

Se pudéssemos mudar os sentimentos do coração, muita dor seria evitada, ao retirar a magoa, colocando a ternura, ao retirar a raiva, colocando o perdão, nisto haveria a chance de unir o que foi dilacerado por conta de um mal entendido, de compreender que nem de pão vive o homem, mas sim da fraternidade do coração, onde amizade reina dentro do seu ser.

Se pudéssemos gritar ao mundo que Deus é Deus, a maldade terminaria, dando origem a bondade.
 A guerra deixaria de existir, para dar origem á paz.
O ódio sairia de dentro do coração do homem para deixar replantar o amor.
As crianças se tornariam ponto de luz brilhando entre nós, como as estrelas no céu. Pois seus corações não conheceriam a dor da rejeição, mas sim a força do amor familiar, onde se tornariam adultos realizados ao encontrarem a sua própria felicidade.

Se pudéssemos entender o coração de uma criança, com certeza, iríamos entender a imperfeição do adulto, e o ajudaríamos a se encontrar consigo mesmo.


Se pudéssemos conseguir entender que para ser feliz é necessário, compreender os sentimentos do coração. E que se a gente não tomar cuidado podemos perder algo que é muito precioso para nós. Pois um vaso que a gente quebre por varias e varias vezes, e colemos os seus pedacinhos com o maior cuidado, um dia pode não dar para o colar mais, e se der, com certeza, que vai ficar com grandes emendas, ou faltando minúsculos pedacinhos, que ao colocamos a mão iremos sentir a sua falta, e nos ferir para valer.

Se pudéssemos, compreender que não somos nós que comandamos a nossa vida, mas sim ela a nós. Eu creio que seria melhor procurar entendê-la, do que lutar de frente com ela, para que esta se torne nossa amiga, para nos ajudar a não cair na armadilha dela mesma.




Clique no link e veja mais textos de Maria Alice Cerqueira!

3 COMENTÁRIOS:

LUCONI

Conheço o blog da Maria Alice e seus belos textos, são mensagens do mais puro amor,como esta que vem do fundo de sua alma, muita sabedoria, e muita generosidade em compartilhar, parabéns meu anjo, beijos Luconi

✿ chica

Gosto muito das mensagens da M.Alice.Aqui ou lá! Linda! beijos,chica

Maria

Palavras escritas com alma que chegam ao nosso coração. Gosto imenso de ler as mensagens da nossa amiga Maria Alice. Obrigado por partilhar.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Compartilhe