• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

06/10/2011

Uma história curtinha





UMA HISTÓRIA CURTINHA
( Chica)



Conta uma antiga história árabe que um homem velho fazia uma avaliação da sua vida conversando e tomando chá com os amigos em um final de tarde.

Ia contando suas histórias, narrando episódios da sua longa existência e tirando lições, vendo significados, pas­san­do experiência para seus amigos:

“Quando eu era jovem, era implacável. Queria que todos despertassem. Rezava a Alá para que me desse forças e instrumentos para mudar o mundo.”

Mas naquela época o homem não tinha muito dis­cer­nimento, e devido à sua inexperiência cometeu erros nu­me­ro­sos.

“Quando eu tinha meia-idade, acordei certo dia e vi que já se havia passado metade da minha vida; o mundo aparentemente continuava o mesmo, e eu não havia conseguido mudar nem uma única pessoa. Rezei, então, para que Alá me desse forças para mudar aqueles mais próximos de mim, que tanto precisavam.”

O tempo passou.

A tentativa de mudar os outros, mes­mo os mais próximos, não pareceu ser exatamente um êxito estrondoso:


“Agora estou velho”, disse o homem, “e minha prece é mais simples. Peço apenas: ‘Alá, dai-me forças para mu­dar a mim mesmo.’ ”


O homem estava basicamente certo, ao chegar à velhice, embora na verdade mudar a si mesmo não seja diferente de mudar os mais próximos ou o mundo.
Tudo está interligado, e é mudando a si mesmo que se obtém o poder da sabedoria e se consegue mudar o mundo para melhor.


A história acima assinala claramente o fato de que é inútil pretender mudar a sociedade por fora sem que haja uma mudança básica em cada cidadão.


Além disso, a história mostra ainda outra coisa.

Um jovem pode pensar que é quase eterno e onipotente, porque tem quase toda a vida pela frente.

 Mas a realidade é outra, como dizem os mais velhos:

“A vida só parece longa quando está no começo”.

Por este motivo, os sábios vivem como se fossem hóspedes do planeta, e com isto deixam de lado a arrogância comum dos mortais.
( O Poder da Sabedoria- C.Aveline--cap.I)

7 COMENTÁRIOS:

✿ chica

Na verdade a história não é minha...É do livro citado e ficou linda aqui. É muito importante e faz refletir. Obrigado,Anne!

Aliás recomendo esse livro.É maravilhoso!

beijos,chica

Andreza

Chica,Um boa escolha que você fez, muito bonito este conto. Obom sinal da sua sensibilidade aflorada. Bjos e tenha uma ótima semana.Dora Duarte

marlenedegoes

lindo conto gostei muito uma sabedoria muito profunda
se a maioria dos humanos analisassem desta forma a existencia a vida seria talvez bem menos complicada
bjs anne e chica minhas lindinhas marlene

Maria Alice Cerqueira

Ola Chica
Linda escolha e lindo conto!
Eu penso que a mudança tem que começar de dentro cada ser humano, e não de cada ser humano tentar mudar o seu próximo.
Com a nossa mudança interior tenho certeza que veremos os frutos da mudança dos mais próximos a nós e até aos um pouquinho mais distantes.
abraço Amigo
Maria Alice

Pepi

Somos impotentes.
Não podemos mudar ninguém.
Podemos mudar somente a nós mesmos.
Um beijinho carinhoso,Chica
Verena e Bichinhos

Tunin

O conto é maravilhoso. A escolha das duas bem acertada. Abração.

Renata Diniz

Chica acertando na escolha. Beijos!

Compartilhe