• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

12/05/2012

Recanto entrevista Fernanda








RECANTO ENTREVISTA FERNANDA
( Anne Lieri)

Fernanda, onde vc nasceu e onde mora hoje?

Nasci no Rio de Janeiro e resido em Brasília com meus pais do coração. 


Neste momento estou em Manaus. Mas minha estadia aqui será breve.




Conte um pouquinho de sua família e de sua infância para nossos leitores. Sabemos que sua infância não foi fácil, então fique à vontade para contar ou não.


Bom... Minha família foi a que eu conheci no orfanato. Minha mãe era italiana e meu pai Judeu, apenas isso. E minha infância foi sempre uma verdadeira aventura eu diria rsrsr. Fugi de um orfanato muito pequena, e fui morar na rua. A primeira vez que eu saí em liberdade, lembro que corri e peguei a água do mar em minhas mãozinhas e chorei olhando para o céu e agradecendo por aquele instante.Tudo era beleza ali, mas a noite chegou e naquele dia choveu muito, eu corri e me abriguei embaixo de uma pedra, 
mas assim mesmo a chuva me molhava.



Então andei na praia e entrei num ônibus, fui parar no Leblon, e foi naquelas paragens que eu me criei, entre Ipanema e Copacabana.
Conheci uns meninos e meninas na praia, que assim como eu não tinham família. Alguns até tinham, mas eram torturados em casa, por mãe e pai alcoolizados, quando não eram padrastos, então vivíamos por lá. A maioria daquelas crianças cheirava cola, mas nunca insistiram para que eu quisesse aquilo.
Continue lendo...



Uma noite enquanto eles estavam mantendo vivo seu vício, eu me afastei e fui rezar mais longe deles. Chegou a polícia e bateu em alguns e outros conseguiram fugir. Um não teve tanta sorte e caiu no mar e não voltou mais.
Eu assisti tudo de longe apavorada, sem saber o que fazer. Quando vi o Sandro cair na água eu corri atrás dele, mas eu também não sabia ainda nadar e fiquei gritando o seu nome, onde as ondas vinham e me derrubavam na beira da praia.
Um dos milicos me segurou pelo braço e ia me levar junto para a instituição de menores, mas eu lhe pedi para que não fizesse aquilo comigo, pois eu já havia ficado presa num orfanato a minha vida inteira, e tinha ganhado asas na noite de natal, para voar e ser livre. Ele olhou nos meus olhos e passou a mão no meu rosto, enxugou minhas lágrimas e disse: ”só não entre no mar, prometa”. Eu disse sim senhor.
E ele me disse: agora vá para sua casa, daqui a pouco isso aqui estará lotado em busca do seu amigo, e daí então eu já não posso fazer mais nada. Eu pedi ao céu que guardasse meu amiguinho com carinho, e fui andando em direção a Ipanema. Nunca mais vi nenhum deles.


Viver nas ruas é complicado, mas a gente encontra muita gente boa também por lá. Fui crescendo assim. Eu pintava meu rosto com graxa de sapateiro, para não chamar atenção, e me vestia com roupas de menino porque meus amigos da rua diziam que eu era engraçadinha, e era perigoso alguém querer se aproveitar de mim.
Anne, se for mesmo contar minha história aja coisas rsrsr. Aprendi a tocar violão olhando pessoas tocando em barzinhos, alguns casos já contei, outros ainda vou contar, mas todo dia era uma novidade srsrs.
Um dia encontrei dona Joana, ou melhor, ela me encontrou, e me levou para ser sua dama de companhia. Depois disso  ela ficou doente eu cuidava dela. Quando ia para a escola outra moça ficava, mas eu ficava em maior tempo e durante a noite. Muitas destas noites eu entrava lendo livros de autores que ela pedia.




Fale sobre os seus blogs. Deixe o link de cada um e diga o objetivo de cada blog, como surgiu, etc...


O “Aleatoriamente” (http://www.palavrasseencaixam.blogspot.com.br/) foi criado devido a já não ter onde guardar agendas. 
Na minha bolsa saio sempre com um bloco de papel, muitas vezes estou tomando um café e lá vem a vontade de escrever rsrsrs. E não gosto de perder nada, embora muitas vezes eu não consiga reorganizar tudo o que vem como uma avalanche. Muitas agendas minhas, algumas colegas emprestaram e não me devolveram mais, e vi alguns textos meus, por aí com o nome autor desconhecido e deixei para lá. Sei que eu sou a fonte, então o que eles têm é algo meu, eu criei e sei disso, e o melhor, Deus sabe muito mais. Então não me abala de forma alguma.
Ganhei o meu Preguicinha (computador) num concurso de poesia na rádio, e desde então pude escrever como gostava, muito e muito Rsss.



No “Vivências quis passar para as pessoas a importância do amor, da natureza, entre saudades etc... Mas o objetivo é a NATUREZA.


O “Gente miúdaé um blog que fala do que eu vivi na vida e como foi difícil, mas sempre um anjo chegava e me ajudava de alguma forma. Anjos existem e eu sempre fui muito protegida por eles. Fossem em espírito ou em carne, enviados por Deus.




O “Fernanda”  criei para deixar algumas frases de saudades que escrevia a Felipe, quis deixar tatuado.


O “POR NÃO TER DITO TUDO” é um blog que comecei, mas o objetivo é trazer para ele desabafos de pessoas e conselhos de amigos a isso, mas estou amadurecendo ainda.



Fernanda, que momento de sua vida está vivendo agora? Como estão as coisas para vc?

O momento que estou vivendo é maravilhoso, estou em Manaus fazendo um trabalho que eu adoro, estou noiva com um moço que eu amo de montão, faço trabalho assistencial, mas também durmo heim gente! Rsrsr. Mas durmo muito pouco. As coisas para mim estão maravilhosas, cheias de bênçãos. Não tenho do que reclamar graças a Deus.



Música preferida.
Um concerto em Aranjuez, de Joaquín Rodrigo, executado por Paco de Lucia.


Cor preferida.
Todas


Animal preferido.
Todos


Lugar preferido.
Onde possa olhar o céu


Uma poesia sua.
Não é uma poesia, mas é um texto que amei escrever.

Amor e ódio (diálogo)

As coisas andavam muito acirradas para ele.
E jamais melhorava nada.
Ainda por cima ele conseguia mais adeptos, e mesmo não sendo nada companheiro, a maioria seguia atrás daquele gosto de nada.
Um dia caminhando por um vale, encontrou um alguém.
Ar sereno, tranquilo, com um lindo sorriso nos lábios e os braços abertos para um abraço.
Amor - Bom dia meu amigo!
Ódio - Bom dia? Só porque queres. Onde estais vendo um bom dia? Além do mais porque me chamas amigo? Sabes acaso quem sou?
Amor - Sei. E lembro-me de você desde o começo do mundo. Aquele que surgiu da inveja,
que nunca derramou uma lágrima por carinho, aquele que não conseguiu esconder o que refletia para os justos.
Ódio - Quem pensas que és para falar assim comigo?
Amor - Alguém que acompanhou toda tua trajetória. Mas te deu a opção de escolha.
Ódio - Acaso tu sabes bem que o mundo inteiro odeia, e essa luta você já perdeu.
Amor - O coração do homem é terra que só o amor pisa, no entanto ele vacila muito em muitas vezes, mas cada um trás dentro de si mesmo a escolha. Essa é dele, e ele pode decidir entre o amor e o ódio. Feita sua escolha ele pode optar até no último suspiro.
Ódio - A raiva corrói os corações dia após dia, seja por um trabalho que não deu certo, uma traição, por uma calúnia, por se perder tudo. É fácil odiar quando lhe viram as costas, quando riem de sua aflição, de sua solidão, de você. O home é vingativo e você percebe a coragem dele quando tira de sua entranha um filho e joga no lixo.
Amor - Nada acontece no mundo sem que os olhos que tudo vê saiba.
Ódio - Então porque se deixa acontecer?
Amor - há um propósito em tudo. Até uma lágrima tem um motivo para cair no momento certo. O homem foi criado para viver no amor, no entanto pode viver no desamor também. Mas prevalecerá sempre dentro do coração o ponto de apoio. O que for em maior sentimento vingará. As adversidades fazem parte da história desde o princípio. O homem sabia que a verdade acima de tudo deveria estar exposta em cada luz e lua. Mas o arrependimento faz o martelo ser menos rígido, isto é, a misericórdia sempre prevalecerá ao julgamento.
Ódio - O que me diz da traição do homem?
Amor - Perdoai setenta vezes sete.
Ódio - Não queres enxergar? Observa o ódio do homem. Ele mata, rouba, engana, mente e humilha. E faz isso muitas vezes falando em Deus. Como me explicas isso?
Amor - O homem tem o livre arbítrio. Desde o principio foi gerado à imagem e semelhança de seu criador. Foi instruído para o bem, mas a opção é dele, ele sabe exatamente qual é a dor de um espinho furando seu dedo. Ele sabe quando a barriga dói de fome e o que precisa fazer para alimentar-se, saberá também chegar até Deus ou se afastar dele, sabendo exatamente o motivo.
Ódio - Se é assim, quando o homem erra e se arrepende, porque o aceita de volta?
Amor - O home deixou o medo ser mais forte que sua coragem. Ele por medo escolhe errado e se machuca. Quando um filho nasce, o pai tem a obrigação de lhe ensinar a conhecer o caminho. Ele deve saber escolher entre o bem e o mal. A abelha produz o mel, alimento doce e puro, no entanto se ele se aproximar para fazer carinho naquele ser que produziu o mel, irá se machucar. Ele tem a certeza que o mel lhe faz bem, mas a picada da abelha deve com certeza evitar. No entanto, se acontecer de ser picado, é procurar ajuda para ficar são outra vez, o antídoto é a cura daquele mau. Um pai jamais irá querer que o filho sofra, mas muitas vezes para lhe ensinar ele deixa que isso aconteça. O sentimento é algo que nunca morre. Quando o homem aprender a amar o seu próximo como a si mesmo, ele terá descoberto metade do que buscava descobrir. Amar é uma oferenda divina. Aquele que encontra a maneira mais justa de desnudar o amor é um sábio, e nunca será sozinho, pois eu estarei nele e ele em mim.
Ódio - Achas que podemos caminhar lado a lado?
Amor - Não. Tu caminhas como máquina. Não sentes, não amas, não constróis. Aqueles que te seguem são frutos de tua árvore e contigo ficarão. O amor é liberdade, recomeço, fé, esperança, coragem, lutas, verdades, alegrias, união, paz.
Ódio - Mas eu também tenho esperança.
Amor -Tua esperança é maquinada. És falso e hipócrita. Aquele que entrega sua angústia nas mãos de Deus por entregar, e fica alardeando depois que se tivesse feito diferente talvez não estive assim, é hipócrita. Não confia no que sua boca fala, e longe está do seu coração. O coração de todo homem foi feito para amar, mas há aqueles que não regaram bem o seu jardim e a semente secou. Endurecer o coração do home é obra dele próprio, porque a semente é dele, a escolha é sua também. O amor ficou para as pessoas no mundo, mas elas decidiram que amor é apenas receber. O amor é doação, mesmo que não se tenha reciprocidade, a persistência é um dom dos fortes. O amor se baseia em fraqueza e fortaleza, um abarca o outro e não deixa sucumbir. O amor caminha lado a lado com a justiça, é imparcial na sua decisão.
Ódio - Aquele que odeia também sente o calor do sol, a brisa, a chuva, assim podemos ser o que somos e ainda temos privilégios também, não acha?
Amor - A Terra é um lugar para todos os povos. Cada pessoa que é gerada foi vontade de Deus, há aquelas que não chegam a morar muito na Terra, outras caminham até o tempo necessário. O amor de Deus é perfeito, mesmo com os imperfeitos. Ele deixa nas mãos do homem a semente em cada luz do sol, em cada cantar de pássaro, nas ondas do mar, no voejar de uma borboleta, no dom de uma canção, naquele que chora, que ri, que acolhe, que esnoba, que abraça, que empurra. Ele mistura as coisas boas e as não tão boas, para que ambos se ajudem, porque ninguém é perfeito. Às vezes funciona, e a gente houve falar mais de paz que de guerras. No entanto é uma preferência também.
Ódio - Estou aqui contigo perdendo tempo, melhor seguir. Mudar alguém como tu é difícil.
Amor - No entanto mudar alguém como tu é fácil.
Ódio - Não entendi.
Amor - Eu explico. A solidão, a inveja, a raiva, são doenças nocivas e deixa em carne viva o espírito. Prove um pouco da alegria, presenciando seus braços, sua voz, visite um hospital, um asilo, um orfanato. O ódio é um mal solitário, as pessoas que odeiam, não se reproduzem, apenas estacionam na mesmice e constroem dentro de si, seu próprio veneno. Cedo ou tarde será infectado com seu próprio mal. O amor torna tudo possível, mas para senti-lo se precisa regar a semente. A sua ainda pode germinar, basta querer bem forte.
Ódio - Feito maquina?
Amor - Não. Feito esperança.
Ódio - Não sei sentir, me ensina?
Amor - Você quer?
Ódio - Quero tentar.
Amor - Olhe para dentro de você, e me diga o que sente.
Ódio - Raiva.
Amor - A maneira que trata os outros, é a mesma que gostaria de ser tratado?
Ódio - Não. Gosto que falem baixo comigo, me bajulem...
Amor - E se fosse o inverso, já pensou?
Ódio- Silêncio...
Ódio - Quero trocar de nome.
Amor - Qual nome gostaria de ter?
Ódio - Um bem bonito.
Amor - Por enquanto o nome que podes ter, tem de ser parecido contigo. Olhe dentro de seu coração agora, e descubra o que ele escolheu para ti.
Ódio – Arrependimento.
Amor - Belo nome. A semente lançada no coração do homem é produtiva e milagrosa, mesmo que passe por aridez, ela continuará viva, se ele quiser reavivar, basta ser verdadeiro. Essa é a fonte de tudo para tudo. Os pequenos detalhes são grandiosos se o amor for a linguagem. Poder recomeçar é dádiva.



A foto é de uma de minhas flores preferidas, o Ipê branco, 

que floresce em setembro, mês do meu aniversário.

  
Uma frase para nossos leitores.
O amor sempre encontra o caminho.

Muito obrigada, Fernanda pela gentileza de sua entrevista.
Anne, eu que agradeço. Foi uma honra ser entrevistada por você, pessoa carinhosa e apesar de ser uma grande escritora, continua simples e acolhedora.
Obrigada!

Eu que agradeço, menina flor, por esta bela e emocionante entrevista.Você tem uma luz própria, menina, e nos cativa com sua ternura!Você é que é uma grande escritora e muito gente! Beijos,

Anne


23 COMENTÁRIOS:

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto

Oi Anne!
Adorei conhecer um pouco mais a Fernanda e a sua estória de vida daria vários livros.
É uma das mais belas e sábias estrelas que brilham na blogsfera pela sua luz espiritual e emanação de amor.
Sou fã incondicional dela.
Parabéns duplo junto com um feliz dia das mães.
abração com carinho

Marcio JR

Pois é, Anne. Se eu for falar tudo o que penso dessa menina, vou precisar de uns 3 blogs. rsrs.

Fernanda é um exemplo de como as pessoas podem optar por não serem ressentidas, ou por não serem revoltadas, ou ainda por não serem egoístas.

Veio de uma vida duríssima, e agora que conseguiu ter um pouco de paz, continua sendo aquela moça batalhadora, honesta e de coração sempre aberto.

Conheci essa menina faz pouco tempo, aqui na net mesmo, e logo a luz dela me atingiu. Parei uma vez pra escutar ela um tiquinho só, num momento ruim dela, e ela logo me chamou de irmão, e hoje sou o "maninho" dela. Ela para mim? Uma verdadeira IRMÃ do coração. É alguém que mesmo com a pouca idade que tem, me ensina diariamente algo bom.

Falar da Fernanda é o mesmo que descrever o ideal perfeito para o mundo. REsiliência, fé, paixão, amor, educação, dedicação ao próximo e tantas outras coisas que iria várias páginas para enumerar.

Anne, obrigado por essa entrevista. Só veio para mostrar o quanto essa mocinha é querida, seja na web, seja na vida aqui fora do virtual.

E você, Nanda. Segue sempre assim, olhando para a frente e para o alto. Logo, logo você será esposa e mãe, e terá uma família ainda mais numerosa.

Beijo enorme para as duas.

Marcio

SONINHA

A Fernanda é tão jovem e já tem tanto talento, hein?! Parabéns, Fernanda!!!
Você é um sucesso!!!
Beijos nas duas gurias talentosíssimas!!!!

Julie

Felicidades, amiga, lindo... Besos.

Aleatoriamente

Anne,
sempre é uma emoção muito forte, cada vez que recebo um carinho tão grandioso assim. Minhas palavras fugiram rsrsr, e no lugar fiquei emoção. Emoção de quase poder tocar no seu carinho, nos comentários de pessoas que para mim, são especiais também.
Obrigada, por de alguma forma estar segurando em minha mão, com sua humildade de ser humano incrível. Com sua grandiosidade de grande escritora. A quem admiro muito, por adocicar os olhos de nossas crianças, com seus escritos lindos. Estar no seu cantinho é sempre uma honra extraordinária.
Todos os dias são especiais para as mães, mas amanhã, se deu um dia de brilho merecido. Quero aproveitar para desejar feliz dia das mães, para todas as mães deste mundo.
E para as mães da nossa família virtual-real também.

Obrigada Anne.

✿ chica

Uma entrevista pra ser degustada, palavrinha por palavrinha! Lindo!Adorei. Muito eu já sabia da vida da Nanda, pois estou sempre lá! Adoro essa guriazinha e torço pela felicidade dela com seu Felipe!! beijos às duas,chica e adorei!!!

marciagrega

Anne estou pasma! Eu não conhecia a Fernanda mas agora sou sua fã!
O relato dela fez com que eu me sentisse um pulguinha...Lindo demais!
Vou correndo conhecer os blogs dela.

Beijos nas duas!
Feliz dia das mães!

Felipe

Pessoal, com certeza a Fernanda fez do dom de vir a este mundo uma grande alegria para Deus. Ela verdadeiramente "tira leite de pedra", pois através das experiências que passou, sempre cresceu e ensinou, e ainda assim continua hoje.
É vivendo o amor onde ele não existia antes que ela transforma corações. É revidando ao desamor com verdadeiro amor que ela trás o ódio à luz da vida.
Isso é que eu chamo de viver a vida.

Fernanda meu amor, você é uma benção na minha vida, e é claro que não sou diferente de ninguém, sou muito melhor hoje porque te tenho comigo.
Te amo, te amo, te amo.... mmmuuuuuiiiiiiitoooooo.
Felipe.

otilia cristina

ANNE VOCE LEU POLLIANA?? CLARO QUE LEU O MUNDO LEU POLLIANA A FER É A INPSIRADORA DESSE LIVRO POIS ELA É A POLLIANA .. UMA MENINA QUE TRANFORMA AS COISAS FEIAS EM BONITAS AS ESCURAS EM COLORIDAS O FRIO EM CALOR E O SOFRIMENTO EM AMOR ..PURO AMOR CRISTALINO DIRETO DA FONTE DO CORAÇÃO DELA.
EU ADORO ESSA MENINA A TENHO COMO UMA SOBRINHA ..E SEI QUE ELA GOSTA DE MIM TAMBEM POR QUE EU SINTO ISSO ..
LINDA ENTREVISTA .. UMA LINDA HISTORIA DE AMOR DE UMA MENINA QUE TINHA TUDO PARA SER REVOLTADA E NÃO É ..
É UM ANJO DE LUZ

OBRIGADA ANNE

AMO VOCE FER

TIA OTILIA

Luciana Santa Rita

Oi Anne,

Tudo bem?Li atentamente a história da Fernanda. Que lição de vida e exemplo para o mundo, literatura e para todos os seus leitores. Estou entrando nos blogs da Fernanda para acompanhar.

Beijos e lindo dia das mães!

Lu

Tunin

Anne, fiquei impressionado com as palavras da Fernanda. Não conhecia a sua história. Verdadeira superação das dificuldades e se me parece não lhes ficaram traumas.
Muito gente por muito pouco, fazem murmurações e se enveredam pelos caminhos escusos, ela não confiou no Deus que tudo pode.
Parabéns para você, Fernanda. Você merece toda a felicidade deste mundo com esta linda e bela inteligência que o Senhor lhe proporcionou.
Que você se case e tenha um marido-amigo por toda a sua vida.
Abração para as duas inteligentes mulheres escritoras.

Anselmo Marinho

Olá Anne!

Inicialmente gostaria de parabenizá-la por organizar esta maravilhosa entrevista.

Fiquei vidrado com a história de vida da poetisa Fernanda, é uma pena não a ter conhecido antes. Mas, o que importa é que através desta postagem você está disponibilizando para todos esta admirável autora, bem como parte de sua história.

O diálogo de autoria da Fernanda é realmente incrível, muito bem feito. Vou procurar conhecer os escritos dela.

Fico assaz feliz pelos seus votos positivos lá no meu blog. Agradeço-lhe por tão rápido divulgar meu livro de crônicas por aqui! E claro, adoraria ter um texto meu publicado aqui também, seria uma grande honra!

Obrigado mais uma vez Anne! Você é uma pessoa sem igual!

Beijos

Anselmo

http://brevescronicas.blogspot.com.br

Toninhobira

Otima entrevista com a Fernadinha menina de ouro da blogosfera.Aqui abrindo seu coração nos leva à emoção.Parabens Anne pela partilha.Parabens Fernandinha por ser guerreira e teimosa com a vida.Isto lhe faz diferente e que Deus possa lhe iluminar sempre.
Meu carinhoso abraço a voces.

Flavio Ribeiro

Ola Anne,
É por isso que o Recanto é um dos espaços que mais curto na blogosfera, sem rasgar seda. Que bela entrevista! Acabei me emocionando, desse jeito vou virar um chorão, pois aconteceu o mesmo ontem lendo o blog de uma amiga, mas isto já é um outro papo.

Que lição de vida a história da Fernanda, espero que sirva de exemplo para aqueles que nasceram em berço de ouro e não sabem fazer outra coisa senão reclamar e se revoltar, enquanto que esta moça, que tinha tudo para cair nos desvios da vida, tem amor pelos livros e escreve uma poesia incrivelmente bela.

Parabéns as duas viu?

Abraços, Flávio.
--> Blog Telinha Crítica <--

Mauro S

Oi Anne, sou solteiro, e darei o abraço a minha mãe, você é mãe, tem mãe... parabéns!!
Quer contribuir com uma foto dos teus para o meu blog?
Valeu pelo comentário!
Sempre tive fotologs, quando deixei os flogs pensei num blog, nunca decolou, mas é um endereço, é isto, minha amiga, beijos e um domingo feliz ao lado dos teus.
Mauro
(Koisas e Coisas/Pezinhos Net)

Edilene

Já li sobre ela no Gente Miúda, mas adorei saber mais. Admiro profundamente a Fernanda, uma história muito difícil e cheia de superações. Emocionante demais! Essa menina é aroeira, (forte)como dizem os pantaneiros! Beijinhos a você e a Fernanda!

LUCONI

nÃO CONHEÇO O BLOF DESDE ANJO, ELA ME PARECEU UM ANJO, MUITO LINDA, MAS VOU CORRIGIR A FALHA JÁ, TAMBÉM FICO SEM PALAVRAS PARA COMENTAR ESTA ENTREVISTA, UM EXEMPLO DE VIDA, DE LUTA, DE GARRA E PRINCIPALMENTE DE DIGNIDADE, PARABÉNS FERNANDA VOCÊ É UM EXEMPLO PARA MUITOS, PARABÉNS ANNE ACERTOU EM CHEIO, BEIJOS LUCONI

Christian V. Louis

Eu acompanho os escritos da Fernanda e como adoro textos realistas, os dela sempre tiveram um espaço preferencial para mim na blogosfera.
Ela é uma excelente escritora e ainda fico impressionado porque pessoas mais velhas ficam ligando talento a idade, visto que pessoas com talento já o demonstram ter na infância.
E pessoas jovens com talento que tiveram uma vida que as obrigaram a amadurecer, tem muito mais a oferecer do que muitas pessoas com mais anos de existência.
Parabéns as duas, a melhor entrevista que já li aqui.

jose claudio

Anne, seus "presentes" para nós são invariavelmente uma agradável surpresa. Mas a Fernanda , como já disse a ela, é uma pessoa cuja palavra grandeza se torna pequena diante da imensidão de afeto, generosidade e amor pelo mundo tal como não se vê comumente por aí. É alguém muito especial, uma iluminada. Parabéns e obrigado pela entrevista tão bela dessa menina-ouro.

E um lindo dia das mães para você. Paz e bem.

Bruxa

Uma fofura seu cantinho!!!
Eu sou viciada em leitura e adoro Clarice Lispector.

Que Deus abençoe vc e sua família.
Parabéns pelo Dia das Mães!!!

Abraços.

Evanir

Fui convidada pela Marcia Luconi a visitar seu recanto hoje ,Anne.
Fiquei muito emocionada com a entrevistada a história de vida dela é comovente.

Sou leitora e seguidora da Fernanda a bastante tempo só não sabia que Aletoriamente se tratava da mesma Fernanda .
Só me resta parabenizar a você amada Fernando .
Deus abençoe grandemente sua vida grande guerreira hoje mais do que ontem te admiro.
Obrigada Anne por nos proporcionar
esse momento de engrandecimento .
Beijos feliz semana.
Evanir.

Aleatoriamente

Anne,
Venho agora agradecer aos amigos que vieram aqui me fazer um afago. Fiquei muito feliz, ao ver pessoas que moram no meu coração por aqui, e outros que passaram a morar, porque os conheci agora. Gente, obrigada por seus comentários, pelo carinho.
Foi um prazer estar aqui neste maravilhoso cantinho, foi maravilhoso conhecer pessoas que eu ainda não conhecia. Enfim é o amor em corrente né?
Obrigada

Anne mais uma vez obrigada!

mundo da lua

Que entrevista ótima
Ótima assim como a frase que a Fernanda nos deixou.
Parabéns Anne.

Compartilhe