• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

10/10/2012

Sonho



SONHO
(Paula Belmino)





Mais uma vez você rouba meu sonho
Não é devaneio, muito menos ilusão.
O subconsciente lhe chamando
Ou mera distração.
É minha alma se comunicando com a sua
Querendo saber como estás
Falar mil vezes que lhe ama
E sua boca vorazmente beijar.

Eu lhe vejo sereno feito anjo
Impecavelmente belo e singular.
Vindo ao meu encontro pela primeira vez
Depois da nossa última noite de amor ao luar.
Você vem feito amigo
Olhos em meus olhos, mãos em minhas mãos,
Eu menina ainda, a mesma que lhe amava,
Deitada ao seu colo carente de sedução.
Ai  me toma em seus braços
E eu posso dizer sutilmente: Amo você
Há anos, um amor guardado e verdadeiro,
Que nunca veio a desfalecer

Á noite eu sou só sua
Minha alma saída do corpo a vagar
Buscando seu peito carinhoso
Onde eu adorava me aconchegar.

Você no sonho ainda é o mesmo
Dos tempos que a liberdade era nua
Onde nós dois não tínhamos dono
E sem dormir cantávamos pra lua.

Pude sentir seu cheiro
O toque suave da sua língua em minha nuca
Vi seus olhos que me amaram primeiro
E sua voz doce eu pude ouvir bem aguda.


Feliz em saber, que por anos a fio
Ainda perdura e floresce esse amor
Sonhei, não foi devaneio.
Previ o que meu corpo deseja a nervos em flor.

Por fim acordei tristemente
Pois na realidade estava tão só.
Há porém a última esperança
De um dia esse sonho realizar:

Encontrar seus olhos amados
E em sua boca pra sempre morar
“O amor sempre encontra o caminho”
E sua boca para sempre será meu lugar.






Visite a autora:Paula Belmino


6 COMENTÁRIOS:

Lita

Gostei muito deste poema. Um sonho lindo de amor. Parabéns à Paula, que me fez também sonhar.
Beijinhos
Lita

Luna Di Primo

que bonito poema... suave... bjuuu de lindo dia a todos

✿ chica

Lindo poema e sonho da Paulinha!!Linda foto! beijos pra todas!chica

Patrícia Pinna

Bom dia, Anne. Lindo o poema. Eu senti a sensibilidade do amor que ela passa nos versos que me fez abrir daqui um terno sorriso.
Beijos na alma e fique na paz!


OBS:Comentarei no Sol, logo abaixo.

Ana Miranda

Arrasou!!!

Belíssimo poema!!!

"Dos tempos que a liberdade era nua
Onde nós dois não tínhamos dono
E sem dormir cantávamos pra lua."

Apaixonante!!!

SILÊNCIO DA MINHA ALMA

Anne. Lindo de mais parabéns a paula e a ti também.
BEIJOS
Santa Cruz

Compartilhe