• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

02/02/2013

Recanto entrevista Ana Bailune



Recanto entrevista Ana Bailune
(Anne Lieri)


Nossa entrevistada de hoje é uma escritora que adoro ler!

Seus blogs são para navegar sem pressa e  recheados de textos suaves e outros, bem fortes.


Eu a conheci pelos blogs mas, muitos de voces devem conhece-la do Recanto das letras.


Hoje não dividirei a entrevista em duas partes.


Vou deixar mais dias e todos podem ler e voltar a ler com calma!


Com voces nossa amiga querida: 


Ana Bailune!


Ana, primeiro é um prazer ter você aqui em nosso blog!



De onde você é? Fale um pouco de sua vida atual.

Bem, tenho uma vida bem comum... Trabalho em casa, dando minhas aulinhas de inglês há oito anos. Sou casada, curto o silêncio, boa música, leituras... E principalmente, amo escrever! Tenho poucos amigos, mas bons. 





Sou uma pessoa de hábitos bastante simples, não sou ambiciosa, não gosto de badalações, e amo a solidão. Adoro minha própria companhia. Acho família fundamental, pois é nela que nos aconchegamos quando o mundo nos fere.

Casamento dos pais de Ana



Ana com 4 anos



 E sua infância tem boas lembranças?
continue lendo...

Quando muito jovens, a gente sempre acha que poderia ter tido uma infância um pouco mais feliz. Até que ficamos mais maduros, e compreendemos que tivemos, sim, uma ótima infância.

 Sou a mais jovem de cinco irmãos, e crescemos em uma casa com quintal, pés de frutas e muitos animais. Sempre em contato com a natureza. Lamento que muitas crianças de hoje não tenham jamais brincado com um cão, gato, tartaruga ou hamster.



O que a faz escrever? Qual sua motivação?

A minha motivação para escrever é a vida. Todas as coisas que me acontecem – boas ou ruins – me inspiram. Minha escrita é a minha visão das coisas que se passam em meu mundo. Principalmente, elas são minha válvula de escape para a sanidade.


Poesia de Ana Bailune






Quais são as principais dificuldades em ser um escritor no Brasil?

Acho que não há incentivos. Existe muita gente boa que nasce e morre anônimo, enquanto os que tem ‘Q.I’ – (Quem Indica) escrevem qualquer coisa e são publicados e aclamados como Grandes Mestres da Literatura. 

Apenas uns poucos tem a sorte de se verem reconhecidos. Meu maior sonho seria tornar-me escritora profissional, e poder viver apenas do que eu escrevo, mas sei que é muito difícil, e não sei se tenho talento para tal.



Quem você destacaria na atual Literatura Nacional?

Pergunta difícil... Não por falta de opções, mas por excesso. Adoro ler Rubens Braga, Lygia Fagundes Teles, Rubem Fonseca, alguns livros do Paulo Coelho, como “Verônica Decide Morrer,” enfim, tem muita gente boa. E para quem não gosta de Paulo Coelho: dê uma olhada melhor nas coisas que ele escreve. Não se julga um autor por apenas um ou dois livros.





Você tem o blog “Liberdade de expressão". Como foi sua trajetória até chegar a ser blogueira?

Na verdade, minha primeira experiência com blogs foi em 2008, mas eu não conhecia o mecanismo da coisa e acabei desistindo. 

O blog ficou fechado esse tempo todo, até que no ano passado, após um desentendimento com a administração do Recanto das Letras, resolvi reativar meu blog – e acabei abrindo outro, que hoje é o Liberdade de Expressão. (clique no nome)

Hoje, tenho o Passagem( clique no nome) – onde publico trechos de outros autores que admiro – e o Liberdade, onde publico minhas próprias fotos e textos. 

Acabei voltando a publicar no Recanto, mas gostei tanto da blogosfera, que decidi permanecer.




Do que se trata seu livro “Vai ficar tudo bem”? Tem outros livros publicados ou a publicar?

Meu livro ‘Vai Ficar Tudo Bem’ nunca pretendeu ser um grande evento; foi apenas uma maneira de desabafar uma grande dor: a perda de meu sobrinho, vítima de câncer, em 2011. 

Toda a renda foi doada ao GRAAC, embora algumas pessoas tenham se manifestado dizendo que escrevi o livro a fim de ‘lucrar com a morte de meu sobrinho. ’ Uma coisa que deveria ter sido um bom momento em minha vida, foi quase estragada por causa de pessoas assim. Justamente por isso, não fiz uma segunda edição, embora a primeira, uma pequena tiragem, tenha sido esgotada em menos de dois meses. 



Pimenta malagueta editora

(clique no nome)






Para o futuro, tenho pronto um livro de crônicas e pretendo escrever outro de poemas e um de contos. Talvez comece a lançar ainda este ano, vamos ver... Produções independentes custam caro.


Enya em homenagem a vc, Ana!

Música que mais toca seu coração.

Adoro várias músicas... Amo escutar Enya, Kitaro, Queen, Cold Play, Chico Buarque, clássicos, Zeca Pagodinho, enfim, tenho um gosto musical bastante eclético que exercito conforme o momento.



Filme marcante.

“Quando foi a última vez que você viu seu pai,” com Colin Firth – meu ator preferido.



Uma flor que gosta de ganhar.

Qualquer uma! Eu amo flores, e adoro recebê-las.


Cecília Meireles

Poesia de cabeceira?

Todas da Cecília Meireles, principalmente, “Criança.” Acho que aquele poema toca o nervo.



Criança

Cabecinha boa de menino triste, 
de menino triste que sofre sozinho, 
que sozinho sofre, — e resiste, 

Cabecinha boa de menino ausente, 
que de sofrer tanto se fez pensativo, 
e não sabe mais o que sente... 

Cabecinha boa de menino mudo 
que não teve nada, que não pediu nada, 
pelo medo de perder tudo. 

Cabecinha boa de menino santo 
que do alto se inclina sobre a água do mundo 
para mirar seu desencanto. 

Para ver passar numa onda lenta e fria 
a estrela perdida da felicidade 
que soube que não possuiria. 

Cecília Meireles, in 'Viagem'




Deixe uma frase para nossos leitores.

Sejam vocês mesmos, pois é o único papel que conseguirão desempenhar com sucesso.



Obrigada por sua gentil entrevista!

Já a achava especial e gostei mais ainda!


Desejo muito sucesso a vc, que merece tudo de bom!



Eu é que agradeço, Anne. Pessoas como você representam uma esperança para pessoas como eu






Eu é que sempre saio ganhando com essas entrevistas que me concedem!

Beijos e receba o carinho do Recanto dos autores!


















12 COMENTÁRIOS:

Val Artes Digitais

Oi amiga, achei seu blog lindo, já estou seguindo e sempre que puder passarei por aqui, trabalho com artesanato em eva, venha conhecer meu cantinho ficarei muito feliz.

Val

Arnoldo Pimentel

Foi muito bom conhecer um pouco do trabalho e da própria Ana, a quem sempre leio.Parabéns a vocês pela bela entrevista.

Ana Bailune

Muito obrigada, Anne! Eu adorei sua postagem, a entrevista ficou muito bonita, pois você conseguiu captar o que eu realmente sou. Parece até um cômodo da minha casa dentro da sua! E com direito à Enya, e minha poesia favorita. Flores, tudo o que eu gosto! Um grande abraço, e estarei sempre às ordens.

Rita

¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*
Olá bom sábado a você!

Nessa minha visita deixo meus elogios
minha gratidão,por ter amizade tão bonita como a sua....Parabéns pelo post que é muito bom
Abraços com todo meu carinho
Bjusss eternos, por esse trabalho fantástico
Rita!!!!
¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*

Cris Campos

Anne,
Bacana poder conhecer um pouquinho mais da Ana. Revelou-se uma pessoa incrível e centrada. Parabéns as duas. Gr. Bj.!

Daniel Costa

Anne

Como o sabes fazez saiu uma maravilhosa entrevista, è sempre bom ir conhecendo pensamentos varários, de várias formas de pensar a vida. Ana Bailune, também foi uma boa entrevistada, o que graticante para o entrevistador e seus leitores,
Beijos para as duas senhoras por pelo prazer desta interessante leitura.

Ana Miranda

Anne, você sempre brindando-nos com maravilhosas entrevistas!!!

Engraçado, a Ana Bailune não tem cara de uma pessoa caseira, não, talvez esse sorrisão dela é que deu-me a ideia de uma moça bem festeira...

LUCONI

Anne você não podia ter escolhido melhor, a Ana é uma pessoa sensível e muito verdadeira, as ´poesias são lindas, e os contos e crônicas ela vai fundo, doa a quem doer, aliás é uma das coisas que mais admiro nela, parabéns as duas queridas, beijos Luconi

Olhos de mel

Bela entrevista amiga e belos poemas! E concordo quando ela fala da falta de incentivo. Isso é uma grande verdade, porque as Editoras só gostam de publicar autores conhecidos e famosos. Quando temos uma gama de autores novos maravilhosos, que vivem no anonimato.
Bom domingo! Beijos

Gracita

Bom dia Anne!
A entrevista com a Ana ficou fabulosa. Amei conhecê-la e também um pouco sobre a pessoa incrível. Parabéns pra você que sempre nos oferece essas preciosidades. Ana amei te conhecer aqui no cantinho encantado da Anne.
Um domingo maravilhoso repleto de alegrias e muitas partículas de felicidade. Beijos de lavanda

manuela barroso

Já conheço Anna, as tuas entrevistas estupendamente delineadas para em pouco tempo e espaço, ficar-se com o máximo de elementos que caraterizam o entrevistado.
Hoje mais uma escritora que aprendi a admirar, com um estilo marcadamente único numa estética fantástica. A simplicidade da Ana acrescenta-lhe ainda mais brilho ao brilho que já tem. São assim os grandes!
Parabéns Ana e muitos sucessos
Parabéns Anne pelo teu talento.
Abraço.

Blog do Óbvio - Manoel

Anne, passei aqui bem por acaso. Estava fuçando em imagens no Google e achei uma pessoa parecida com a amiga Ana Bailune. Pois não é que era uma linda entrevista dela nesse seu blog. Adorei a entrevista e adoro os escriros da Ana. Sou fã de carteirinha dos escritos e da pessoa que ela é. Muito becana Anne e é mais um blog que vou seguir e perseguir, rs...rs!
bjs
Manoel

Compartilhe