• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

03/07/2013

Entre sinfonias e silencios

ENTRE SINFONIAS E SILÊNCIOS







Há dias que ao olhar-me,

Percebo-me como oceano,

E para onde olho sempre vejo,

Muitos barcos a navegar em mim.




Mas há dias que ao olhar-me,

Percebo-me como barco,

E para onde olho nunca vejo,

Oceanos onde eu possa navegar.



Assim vou vivendo os meus dias.

Nos dias de oceano, sou sinfonia.

Nos dias de barco, sou silêncio.

E me assusta ver que com o passar do tempo,

Cada vez mais existem dias de silêncio

Habitando em mim.




Visite o autor: Aluisio Cavalcante Jr.




10 COMENTÁRIOS:

Daniel Costa

Anne

Quem já fez longas vagens de barcos, pode bem comparar o silêncio a estas, ou seja o silêncio o barco. Bom o imaginário poético de Aluísio Cavalcante.
Beijos

http://odeclinardosonhos.blogspot.com

Maravilha!!!
Sou seguidora do Aluísio com muito orgulho!!!!
beijo
anacosta

✿ chica

Lindo como tudo que chega lá do Aloysio! abração aos dois!chica

Renata Diniz

Anne! As poesias do Aluisio são maravilhosas. Beijo!

Fernanda Oliveira

Lindo!
Eu gosto muito dos escritos do amigo Aluisio.
Bela escolha amiga Anne!

Beijos! Fernanda Oliveira

marciagrega

Nem todos os dias são iguais e nem todos os dias somos os mesmos...

Bjussssss

Orvalho do Céu

Olá, amigos!!!
Em mim também: solidão e silêncio...
Tenham dias felizes!!!
Abraços fraternos de paz e bem

Liny Miller

Sempre temos esses dias assim de solidão e silêncio... São importantes para refletir. Mais que os dias de alegria sejam bem mais!
Muito bonito o texto.
Bjus

http://blogluminoso.blogspot.com.br/

Rafael Castellar das Neves

Olá Anne!!

Hoje estou passando descaradamente para fazer uma divulgação do meu livro "Patos" que disponibilizei gratuitamente e democraticamente para download e leitura on-line aqui no meu blog. Agradeço muito a quem puder ajudar com a divulgação!

Desculpe a invasão e obrigado pela oportunidade!

Boa Aluisio!!

Abraços,

Rafael

Toninho

A solidão que navega em agua as vezes não tão calmas, como o silencio busca nos propor.
Uma construção bonita de poesia com reflexão.
Parabens ao poeta.

Compartilhe