• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

06/06/2014

O menino poesia

O menino poesia.

(Toninho Bira)






Sangrada a ferida, fica a cicatriz,
com uma tatuagem por companhia,
para quem se faz em um aprendiz,
mas que sempre renasce a cada dia.

Com a crença fervorosa na jornada,
que acaricia o seu próprio coração,
inspirando-se numa fonte herdada,
do manejo da sua vara de condão.

Quando se sente preso num alçapão,
movem-se asas feridas, sem harmonia.
sem plano de voo para a libertação,
que possa romper com sua agonia.

quando adormece o menino poesia,
na ilusória cama de flores no jardim,
blinda-se a alma na estranha euforia,
cerram seus olhinhos como *Passarim.

Mas logo descortinam os raios solares,
sobre a varinha de condão da poesia,
sente no peito uma saudade dos lugares,
abre a janela para saudar mais um dia.




Visite o blog do autor:



Do mineirez Passarim: qualquer pássaro pequeno.


6 COMENTÁRIOS:

Célia Rangel

Um poema de uma delicadeza de inspiração ímpar! Parabéns!
Abraços.

✿ chica

Toninho tem a poesia dentro dele e escreve maravilhas sempre! Linda mais essa ! abração aos dois! chica

Maria Emilia Moreira

Anne eis um belo poema de Toninho, poeta que admiro e merece ser divulgado.
Parabéns pelo seu trabalho em favor dos outros. Beijinhos.

Elvira Carvalho

A combinação de menino e poesia, só podia dar nisto. Um belo e delicado poema.
Um abraço e bom domingo

Beatriz Bragança

Querida Anne
Belos versos do amigo Toninho!
Em cada manhã renasce uma nova esperança.
Parabéns ao autor.
Um beijinho
Beatriz

Roselia Bezerra

Olá, queridos Anne e Toninho
Costumo ver o tom saudoso nos temas dos poemas e posts do Toninho... lindo isso!!!
Bjm fraterno de paz e bem aos dois

Compartilhe