• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

20/09/2014

Não vou desistir do Brasil



Não vou desistir do Brasil

(Anderson Fabiano)


Eduardo morreu! Não um Eduardo qualquer. Esses, morrem todos os dias de balas perdidas, nas filas do SUS, de subemprego, fome ou desesperança. Mas um Eduardo presidenciável.



O país dormiu com um tanto da esperança renovada e acordou com uma bola de fogo despencando dos céus de Santos. Ou como disse um amigo que compartilhei no Facebook, "La magique n’existe pas”.

Eduardo não era nenhum santo ou

 mesmo um salvador da pátria,


afinal era um político e como tal 

poderia, perfeitamente, conhecer e ser adepto da prática do tapinha nas costas e das promessas não cumpridas, mas que sua plataforma política lançou um alento no seio da família brasileira, lá isso ele fez. 

Longe de ser um Sassá Mutema, neto do Arraes soube se apresentar à nação nesses tempos de videoteipe PT versus PSDB, com um discurso que o país anda louquinho para ouvir e ver funcionar: o da Ética.

 E se existe um tema sobre o qual nem PT, nem PSDB podem abrir a boca é essa tal de ética. Cuecas milionárias, mensaleiros, dossiê disso, dossiê daquilo, etc. e tal. 

Até parece vaca de fazenda nordestina: num ano é de “A”, no outro de “B” e tome de empréstimo no Banco do Brasil. Sai FHC, entra Lula, sai Dilma, entra Aécio. É só isso que temos? Será que nenhum partido político possui um filiado que seja que frequente os botequins da cidade, as rodinhas das esquinas, os fins de festa da periferia para ouvir o que o povão anda dizendo da Dilma, do PT, da política?

Ninguém aguenta mais essa zona! Ninguém aguenta mais políticos de discursos vazios e sorrisos encomendados para fotos de campanha!


A gente está de saco cheio desses caras!


Caetano Veloso disse, após a morte de seu amigo Eduardo: “estou cansado demais das esperanças ligadas ao Brasil. São muitas décadas de teimosa aposta no país em que nasci”.


O Eduardo dizia “que não ia desistir do Brasil”.



E eu... nem sei mais o que dizer. Mas desistir, jamais!




* texto escrito em 15/08/2014



Visite o blog do autor:




12 COMENTÁRIOS:

Elvira Carvalho

Um excelente texto, uma crítica á situação atual do país. Por aqui se diz que somos povos irmãos. E como irmãos sofremos do mesmo mal. Agora temos um governo de "tem dias" "Tem dias" eles afirmam a pés juntos uma coisa, "tem dias" eles fazem o contrário, "tem dias" eles pedem desculpas aos portugueses. Porque agora virou moda eles virem pedir desculpas das asneiras que fazem.
E quem se lixa, claro é o Zé Povinho.
Um abraço e bom fim de semana

Lita

Excelente texto!! Eu sou portuguesa, mas vejo as notícias do Brasil, e também tinha esperança no Brasil do Eduardo. Afinal, somos países irmãos e sinto tristeza com a vossa tristeza. Espero que um dia o Brasil volte a ser uma Nação onde o povo brasileiro se sinta feliz.
Um grande abraço.
Lita

✿ chica

Maravilhoso texto do Fabiano! Mas eu com o que aí está, com as tristes opções que nos são oferecidas, nenhum,mas NENHUM MESMO, me dá confiança que as coisas podem mudar. Só vejo MESMICE em TODAS as OPÇÕES!!!

TRISTE futuro do Brasil! Triste, mas triste mesmo! Não acredito.

bjs, chica.

Rita Sperchi

Bom dia bom final de semana
com muita chuva por aqui.

Um verdadeiro amigo é alguém que pega a sua mão e toca o seu coração

. (Gabriel García Márquez)

Bjuss de sempre

└──●► *Rita!!

Giancarlo

Un felice weekend per te.

Flavio Ribeiro

Olá Anne,

De fato temos todos os motivos do mundo para querer desistir, mas não podemos e temos que lutar até o fim!

Muito interessante o texto do Fabiano que soube explorar bem a frase dita pelo Eduardo e contextualizá-la com as verdadeiras angústias e sentimentos do povo brasileiro, que está de saco cheio de tanta corrupção e falta de esperança com essa polarização PT x PSDB.

Parabéns!

Abraços,
Flavio Ribeiro

portaodoinfinito.blogspot.com.br

Célia Rangel

A descrença nas pessoas político-partidárias é total! Impossível tecer comentário algum.
Abraço.

Anderson Fabiano

Oi, Menina Voadora,
Leninha me disse que você havia publicado minha crônica e vim correndo dar uma olhada. Nem sei o que dizer... só você mesmo para me dar um presente tão surpreendente.
A temporada dos "novos amigos" está terminando: com a chegada das eleições acabam os tapinhas nas costas, os sorrisos gratuitos, os abraços calorosos e depois só nos restará esperar mais quatro anos esperando que novos (e confiáveis) nomes surjam no cenário político brasileiro. Triste sina.
Meu carinho,
Anderson Fabiano

Anderson Fabiano
Este comentário foi removido pelo autor.
Anderson Fabiano

E obrigado a todos os amigos que leram e postaram comentários.
Meu carinho.

Helena Chiarello

Muito difícil tecer um retrato otimista para as próximas eleições...
O problema maior é que o povo que está sendo beneficiado com bolsa-isso, bolsa-aquilo, não deseja mudanças...
E a gente nem consegue acreditar que alguma das outras opções vão querer ou conseguir fazer alguma coisa... É uma pena...
Suuuper obrigada, menina voadora, por esses carinhos que vc faz de um jeito tão especial e bom! Adorei ver o texto do Fabiano aqui!
Beijo grandão!

Toninho

Eu compartilho desta vontade de não desistir deste país, ainda que estes políticos picaretas tentem dizer não.
É muito complicada a nossa missão numa eleição onde não vejo nada que me acenda a esperança.Ainda penso que nossas leis para desmandos são inaplicáveis à eles e assim todos serão as mesma coisa.
Mas desistir não.
Um bom texto para uma discussão sem paixão, mas voltada para um pensar Brasil.
Boa partilha Anne.
Abraços

Compartilhe