• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

21/09/2014

Questionamento

Questionamento

(Francilangela Clarindo)



O meu amigo
Me levou lá prum teatro
Pr’assisti um home
Tocando piano
Mas olha que  eu fiquei invocado.



Como é que ele sabia
que tecla tocá
pra sair aquela música
danada de boa?



E tem mais coisa
que eu sou doido pra saber.
Segura que lá vai.



Como é que a professora
Consegue juntar
aquele monte de coisa do papel e ler?



Como é que a gente vê os preços lá em cima
E dizem na televisão
Que uma tal de inflação
Tá desse tamainho?



Como é que eu
e um bocado de amigos meus
não entram nem na casa dum pessoal
lá do bairro
que é branco
e dizem que aqui no Brasil
não tem esse negócio de preconceito.



E olhe que um dia
Eu fui numa loja
E tomei um susto
Com um homem de paletó me perguntando:
Qué que eu tava fazendo lá.



Mas ele foi educado.
Pegou na minha blusa suavemente
E  me levou lá pra fora.



Acho que lá
Não tinha o que ia comprar
E o patrão dele
Deve mandar ele
Tratar bem os clientes…



Tá bom!





Visite o blog da autora:




7 COMENTÁRIOS:

✿ chica

Que beleza de poesia e reflexão acerca dela. LINDA construção! bjs às duas, chica

Célia Rangel

Excelente "grito" dos excluídos por uma sociedade podre e pobre em ética e moral! Sensacional!
Abraço.

Gracita

Um bela construção literária. Um magnífico clamor aos excluídos. Parabéns pelos magníficos versos.
Beijos e um buquê de sorrisos permeado com os doces armas da primavera

Daniel Costa

Anne

Tem um gostoso sabor Nordestino, o poema de Francilangela Clarindo.
Belo e saboroso, de gostar.
Beijos

Flavio Ribeiro

Olá Anne,
Gostei bastante do poema da Francilangela, pois comporta em si o drama de muitas pessoas inocentes, interessantes, boas de espírito mas sem instrução, e por isso muitas vezes enganado como foi ao ser retirado da loja educadamente.

Enfim,
Parabéns!

Edumanes

O levou lá prum teatro,
o amigo seu amigo
não sei se ficou sentado
ou encostado ao postigo.

Ouviu tocar o piano,
tinha os ouvidos bem afinados
por que não terá sido engano
ou será que foram enganados?

Não sei, imagino eu,
mas, agora sei dizer
que belo poema escreveu
o qual eu goste de ler!

Está bom à minha maneira,
com fartura tem humor
merece a autora com certeza
para ela mando uma flor!

Beijos para a autora a para a Anne.
Eduardo.

Toninho

Legal Anne, gostei vou lá conhecer.
Grato pela partilha.
Um abração.
Beijo

Compartilhe