• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

27/08/2013

E se?

E se...?






Quando você se pergunta:
“E se o momento não for o certo, ou se as coisas correm mais que o calendário – ou o relógio?!
E se a poeira ainda não baixou, ou se as feridas ainda não fecharam, ou se palavras ainda doerem e as lembranças ainda rondarem?
E se não for a pessoa certa, ou se for o começo de mais um fim, ou se for pior dos infernos que volta a se formar?
E se as coisas saírem do controle, ou se ainda estão sob controle, ou se é loucura?
Continue lendo...

E se for a coisa certa a se fazer, ou se for tudo o que foi procurado agora batendo à porta, ou metade?
E se for um começo diferente, uma coisa diferente, estranha, ou quem sabe algo predestinado?
Mas se não for isso? E se for o que sempre foi? E se estiver errado? Está errado? Tudo?”

É quando eu lhe pergunto:
“E se o que está por vir for a pior das coisas? O pior dos fins - e não o último?
E se não houver controle? E não houver como e porque controlar?
Mas e se for o fim? O maldito fim que tanto fugiu? Que tanto foi procurado e buscado?
E se for um começo único e último?
E se for tudo o que foi negado? E se for o motivo de tantos calos?

E se amanhã os ‘eu’ não mais o serem? E se amanhã a encontrarmos esperando atrás da porta?
E se amanhã Deus se revelar um tirano sarcástico e der seu basta em uma fúria incontrolável?
E se amanhã eu não puder lhe desejar ao menos bom dia? E se estas forem as últimas palavras?
E se esse amanhã for hoje? Daqui um pouco? Agora? Nem tchau?

E se amanhã não for nada disso e isso tudo se tornar apenas um nada? Ido, passado, quem sabe lembrado ou até desejado, mas ido!
E se, seja lá o que for amanhã, se perguntar ‘e se?’ e a resposta for ‘não sei, quem sabe’?
Ninguém sabe e nem se importará, pois já foi!”

Larga suas pedras! Solta as correntes e liberta seus pensamentos, suas perguntas, suas angústias e deixa-os voar para longe e lhe trazerem sonhos para serem vividos: nesta vida ainda!

E quando assim escolher, olha em volta e me verá, pronto!
Caminhe em minha direção, faça-o a passos largos, de braços abertos, sem sentir as pernas, mas o vento em seu rosto, e sorria ao balanço único deste caminhar. Caminhe com seu todo, seu tudo!
E seus olhos brilharão aos meus, seu sorriso será gargalhada às minhas, e flutuará a mim!
E quando a mim chegar, enxugarei suas lágrimas com meu rosto, limparei seu sangue com meu corpo, fecharei suas feridas com meu toque.
Perca-se em meus braços como me perco nos seus.
E será com o meu mais verdadeiro e mal-intencionado beijo que lhe mostrarei que não estou nem atrás nem a sua frente, mas ao seu lado, sem “e se”; apenas sendo!



Visite o autor clicando em seu nome:


5 COMENTÁRIOS:

✿ chica

Rafael, intenso. Lindo texto, vários questionamentos! beijos,lindo dia! chica

Ana Bailune

A vida é cheia de questionamentos, e levá-los muito à sério promove a estagnação. Melhor é ir em frente, esquecendo-se dos 'e se...'. Lindo texto!

Lari Moreira

Bom diiia *--*
E se, duvida de todos! kkk
tenha uma otima semana
http://maybe-i-smiled.blogspot.com.br/

Carlos Hamilton

Existem respostas que só o tempo irá responder. Outras perguntas nunca serão respondidas,porque fazem parte do mistério da vida.

Abraços

Patricia Galis

Gostei demais já passei por quase tudo isso as vezes escolher é difícil por que fica a pergunta e se...

Compartilhe