• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

31/05/2014

Recanto entrevista Alexandre Mauj Imamura

Recanto Entrevista Mauj Alexandre Imamura

(Anne Lieri)



Alexandre, primeiro obrigada por ter aceitado meu convite. Vou fazer muitas perguntas,ok? Onde vc nasceu e onde mora hoje?


Olá, Anne! O prazer é meu, de participar desta entrevista e estar em contato com seus amigos leitores.

Imagem do Google.

Nasci em São Paulo, capital. Lá morei por 26 anos.
Hoje vivo em Nagoya, capital da província de Aichi.  13 anos que moro no Japão.





Por que acrescentou “ Mauj” ao seu nome?





É meu nome.

Tem origem árabe  - no árabe moderno significa “ondas”, em um antigo dialeto levantino significa “amor”.

Todos me conhecem mais pelo segundo nome, Alexandre, por ser mais fácil memorizar e pronunciar.





Por que resolveu ir morar no Japão?
Sempre tive vontade de morar fora do Brasil, conhecer novos países e culturas.

Fiz curso técnico de eletrônica,  fui estagiário e depois funcionário da Rede Manchete de Televisão, em São Paulo.






A emissora faliu, todos ficaram em situação difícil.

Então resolvi tomar novos rumos na vida e vim.

Planejei ficar apenas três anos, mas gostei tanto do país, me adaptei tão bem por aqui que ainda não criei coragem em retornar ao Brasil.

Não sei se me acostumaria novamente no Brasil de hoje, pois sinto que os problemas parecem ter piorado por lá e isso me desanima muito a voltar, apesar de amar o país que nasci.





Que dificuldades encontrou ao chegar? O jeitinho japonês é muito diferente do nosso?


As dificuldades não foram muitas, uma das qualidades que tenho (e falo sem falsa modéstia) é a facilidade em me adaptar às diferentes situações da vida.

Mas sim, tudo aqui é muito diferente, incluindo o jeitinho brasileiro/japonês.

A gente, como brasileiro, leva tudo de um jeito meio improvisado, no ritmo pessoal de cada um. Aqui no Japão o foco é no coletivo, no “correto e acertado previamente”, não dá tantas margens para ficar quebrando galhos com jeitinho algum. O que é, é. O que não é, não é, acabou.




Gosto da criatividade, originalidade (até de sobrevivência) que temos no Brasil, mas sinceramente seria muito melhor se fôssemos um povo mais disciplinado, que leva mais a sério compromissos e deveres, como é feito aqui no Japão.


Muitas vezes penso que nós, brasileiros, somos um povo bobo-alegre. É alegria demais para pouco motivo, o país afunda em complicação/corrupção/atraso e povo rindo, levando a vida no improviso, na auto-enganação, alienando na novela e BBB.  Porque já nos acostumamos a levar a vida quebrando galhos, em vez de focarmos em uma vida realmente digna e justa.





Quais as coisas boas de morar no Japão?

Organização (tudo aqui é feito para funcionar e ser pontual).

Segurança (uma delícia poder caminhar pelas ruas sem preocupar-se com a carteira, câmera, se é dia ou noite)

Educação (não tem nada pior do que um povo mal educado, grosseiro)

Praticidade (tudo é feito para ser fácil e prático)





Vida cultural (são muitos eventos, para todos os gostos e temas, coisa que adoro. A cultura é muito valorizada aqui).

Relações interpessoais (cada um cuida mais de sua própria vida que a dos outros. É menos confusão no convívio pessoal).







Beleza natural (o país é bonito, tem uma natureza linda e adoro as mudanças à cada estação).

O país, como um todo, é bem organizado e cuidado.





Conte um pouquinho de sua infância para nossos leitores.


Tive uma infância muito feliz. Fiz parte da geração menos eletrônica, que brincava muito nas ruas em uma São Paulo muito menos violenta que a de hoje.




Nem pobre, nem rico, família como de todos (lado bom e ruim).

Era um garoto que tinha muitos amigos, sonhador, alegre, saudável.

Não sou saudosista, mas guardo maravilhosas infâncias do meu tempo de moleque.





E hoje? Como é sua família? Está no Japão com vc?

Parcialmente. Um pouco aqui, um pouco no Brasil. É uma família numerosa, muitos parentes aqui e no Brasil.



Escrever é uma paixão ou é mais? Conte sobre como começou a escrever, com que idade.


Sempre gostei de ler, muito! Escrever, sempre escrevi, mas de maneira totalmente despretensiosa e descompromissada, uma coisa bem minha e pessoal.

Aos 30 comecei a escrever para ajudar amigos que trabalhavam na área. E peguei gosto...e fiz disto um jeito de defender meus pontos de vista e ainda ganhar  meus trocados.

Sempre escrevo com o mesmo sentimento: como se estivesse conversando com quem me lê, sem esquentar a cabeça com o texto…. sem revisar (na maioria das vezes) pois é prazer para mim, não é obrigação. Então é uma coisa que faço com muito carinho.






Como surgiu o seu blog “ Lost in Japan” ?  Deixe o link para as visitas.

Amigos, parentes, sempre perguntavam como era minha vida no Japão.

Acabava por contar as mesmas histórias diversas vezes. Daí pensei em botar em papel virtual, dar meu ponto de vista sobre minha vida aqui no Japão para quem quisesse ler.

Estava também muito cansado de ler tantos absurdos que se publicam sobre o Japão na net brasileira - muita desinformação e preconceito (sim, somos muito preconceituosos, apesar da gente passar um verniz de  “amo todas as culturas” ). Me irrita, até hoje, ler esse festival de bobajada que vai desde gueixas de pé atrofiado, manias e bizarrices que falsamente atribuem ao país. Fora os relatos de que vida de um brasileiro no Japão é só dor e lamentação, etc…

Quis dar meu ponto de vista, o jeito que levo a vida aqui. E o blog “pegou”, bateu em dez milhões de visitas nos cinco anos de atividade.






Uma época fiquei cansado do blog, apaguei o conteúdo e deixei-o de lado.  Quem tem blog sabe que a vida de blogueiro é trabalhosa e muitas vezes cansativa. Como não sentia mais prazer em blogar, botei um ponto final e tirei um período de férias da vida de blogueiro.

Mas a saudade dos amigos leitores bateu, idem a vontade de escrever.

 Retomei o Lostin Japan (agora é Lost in Japan II, tudo novo),segue o link:

 http://maujale.blogspot.jp/

e convido todos a darem uma passadinha por lá.




Vc tem livros publicados e é colunista em diversos veículos da mídia brasileira no Japão. Fale sobre eles e sobre o seu trabalho, se gosta, como se sente…


Os livros aconteceram por acaso. Fui convidado a participar, pela editora Digitexto, de um projeto de blogueiros escritores. E adorei. Nunca tinha pensado em escrever livros ou algo do gênero. Idem as revistas, o jornal local, fui convidado devido ao blog.

Amo escrever para as revistas e cia, pois sinto que é um jeito de conversar com um monte de gente bacana, pessoas maravilhosas. Tenho um bom retorno das colunas publicadas, é sempre um prazer ler a opinião dos amigos leitores. Fico encantado com o nível dos leitores que tenho, gente da melhor qualidade. É uma honra, uma felicidade imensa para mim. Por isso adoro escrever, pois amo quem me lê.





Que conselho vc daria ao governo brasileiro baseado em sua experiência morando no Japão?


Botem o povo para estudar. Cultura nunca é demais e nenhuma nação se faz grande sem estudo, trabalho, dedicação.

Mais organização, menos jeitinho e improviso.

Menos “alegria e diversão” (brasileiro confunde muito a felicidade pessoal com algazarra, baderna, excitação, desregramento) Mais concentração, realização, foco, equilíbrio.

Não adianta um país ter sido abençoado com belezas naturais se no que cabe ao homem é algo medonho de horroroso. Então que cuidem melhor da nação.

Políticos corruptos, façam como os daqui: pegos em corrupção, SE MATEM.



Musica preferida.

Impossível dizer uma. Não sendo música sertaneja, me sinto feliz só de ouvir música, qualquer uma.



Escolhi essa canção japonesa, Alexandre! Espero que goste! Eu achei muito bonita!



Cor preferida.


Azul





Animal preferido.

Cachorro



Mariatchan, a cachorrinha do Alexandre.
Inclui também alguns outros bichinhos dele que encontrei:


Colorina



Mapple Maria



Fortuna

Lugar preferido.

Onde me sinto feliz



Flor preferida.
Sakura (flor de cerejeira)





Uma frase para nossos leitores.

Você está neste mundo para crescer, se desenvolver,melhorar como pessoa e ser feliz...não veio para cá porque apenas porque tem espaço.






Muito obrigada pela gentileza de sua entrevista.

Há tempos quero entrevistar o Alexandre e foi um prazer imenso te-lo por aqui!

Para quem não conhece seu blog é uma viagem maravilhosa, com muitas viagens incríveis e belas fotos!

Vc nos mostra um Japão ainda mais bonito do que imaginávamos!

Desejo muito sucesso em seu trabalho e alegrias de montão em sua vida!

Beijos da Anne!




* Todas as fotos desta entrevista são de autoria do Alexandre. Muitas estão fora de contexto, mas decidi postar assim porque são um retrato da alma do entrevistado. São lugares, viagens, festivais, objetos e momentos observados por ele.Elas podem ser encontradas nos links abaixo:

Lost in Japan II


Mauj Alexandre/ Facebook



22 COMENTÁRIOS:

✿ chica

Anne adorei ler o Alexandre aqui e gosto miuioto do jeito que ele falaq, coloca o que pensa! Muito legal! Pena, não consigo mais comentar lá ,pois não tenho o Google +. beijos e tuuuuuuuuuuuuudo de bom,chica

Tunin

Que entrevista linda com esse garoto, Anne! Que cabeça privilegiada! Amo o modo de ser do japonês. Eu me adaptaria facilmente num lugar desses. Gosto das coisas sérias, práticas e justas. Nada de jeitinho.
Abração.

LUCONI MARCIA MARIA

Excelente entrevista, adorei o jeito dele nas respostas, na forma de pensar, amei parabéns a ele e a você que sempre nos traz pessoas de peso, beijos Luconi

Elvira Carvalho

Muito interessante a entrevista. Apesar da juventude, o Alexandre tem a cabeça bem assente, quer dizer tem ideias maduras.
Um abraço e felicidades para ambos.

Lúcia Soares

Anne, uma sacada certeira, porque é sempre um prazer ler o Alexandre.
Centrado, educado, gentil, amigo, porreta, fala o que pensa e sabe não ofender, é uma pessoa a quem aprecio muito.
Um homem de ouro. Nem sei porque as japonesinhas ainda não o fisgaram!rs
Um beijo, Alexandre.
Beijo, Anne.

Palavras

Muito legal a entrevista!

Triste é ver um brasileiro ter que sair do seu país para se realizar...

Fazer o quê???

para nós que aqui estamos, sigamos com o que temos, fazendo o melhor que podemos.

Abs Anne e Alexandre

Leila

SANTA CRUZ

Anne Excelente entrevista parabéns aos dois adorei dever ser uma pessoal de bom senso e uma pessoa com quem se pode comunicar. Bom domingo.
Beijos
Santa Cruz

Mirtes Stolze.

Boa noite .
Vim lhe desejar um més de junho com paz,saúde e alegrias.
Que toda a sua família seja protegida e guardada de todo mal.
Um lindo més a todos vocês.

Denise

Chegar justamente a tempo de pegar a entrevista do Alê é um sinal de que o lugar é muito bom....rsrrss
Adorei saber um pouquinho mais sobre esse nosso amigo querido... vou tratar de conhecer melhor teus espaços, Anne, grata pela visita!
Boa semana, um bjo!

Mauj Alexandre Imamura Gonzalez

Anne so agora pude comentar... vc sabe a correria destes dias recentes rs. mas queria mto agradecer a participacao neste blog tao legal! e poder estar aqui, com estes bons amigos.

foi uma honra estar aqui, neste cantinho tao gostoso e especial
mto obrigado pela oportunidade e amizade! gostei mto! feliz!

Lidia Ferreira

Nossa , foi muito bom saber mais deste menino rsrs , parabens pela entrevista


Tem um sorteio rolando no meu novo blog, quero muito quer voce participe
http://lojatricoecompanhia.blogspot.com.br/2014/05/sorteio.html
bjs

Clara Lucia

Amo esse menino, Anne, foi amor e empatia à primeira vista. Digamos que ele me apresentou ao mundo blogueiro e tudo aconteceu.
Desejo a ele tudo que desejo aos meus filhos e a mim.
Beijos, beijos, beijos Ale, meu querido!
Anne, que delícia ler ele aqui no seu canto! Beijos, querida!

Luma Rosa

Oi, Alexandre!
Que delícia de entrevista! A Anne sabe como bem como nos conduzir! Acho que você não mais se acostumaria com o Brasil e fico triste em lhe avisar que o brasileiro deixou de ser bobo-alegre. Caiu na real, agora ele é bobo-triste! Ah, vamos tirar o bobo e colocar 'metido a esperto'?
:D
Beijus,

Misturação - Ana Karla

Anne, eu amei a entrevista, ainda mais de uma pessoa por quem tenho grande admiração.
Ale, é simplesmente muito atencioso com seus amigos, fãs.
Copiei essa parte do que ele disse, pois é assim que penso:

Menos “alegria e diversão” (brasileiro confunde muito a felicidade pessoal com algazarra, baderna, excitação, desregramento) Mais concentração, realização, foco, equilíbrio.

Só retiraria a alegria, pois penso que devemos ser mesmo alegres ao máximo possível.

Xeros

Roseli Pedroso

Anne, obrigada por essa entrevista maravilhosa com o Alexandre que é uma figura totalmente do bem. Todos que o conhecem passam a ser melhores devido a sua energia e alegria. Eu sou uma das tantas contempladas. Obrigada!
Bjs

She

Amei, amei e amei! O Alê é um querido que conta o Japão de uma forma única. Amo este país e sua cultura sem nunca ter estado lá, e por isso eu amo o blog "Lost in Japan". Já fui muito mais assídua no cantinho dele, mas pretendo voltar, não é falta de amor não, e sim de tempo mesmo.
Sucesso pra você Alê, sempre. E parabéns pela entrevista Anne.
Beijo, beijo aos dois! ;)
She

Maria Luiza

Anne, penso que afeiçoar-se só depende da pessoa que se dirige a nós e foi com o carinho, o respeito e a delicadeza com que ele comentou no meu blog pela primeira vez, que me fez afeiçoar-me a ele com muita intensidade. E isso aconteceu na ocasião de uma blogagem coletiva que a Elaine Gaspareto lançou e ele a ajudava na avaliação. Pronto! Foi o que bastou para esse menino conquistar meu carinho e respeito!Sempre que posso, comento no blog e no Face. Às vezes, passo dias sem entrar no Face , quase não curto.
Às vezes, quando o assunto não me agrada, prefiro nada dizer Ajo com o coração, só! Parabéns a ambos!Beijos também!

Minéia Pacheco

Anne, que legal ver o Alexandre por aqui. Amei poder conhecê-lo um pouco mais.
Maravilhosa entrevista!

Beijos!

Beth/Lilás

Anne, parabéns, você escolheu uma pessoa que tantos amam e gostariam saber mais dele! O Alexandre é o que podemos chamar de 'queridinho' entre os blogueiros, é unânime o sentimento de carinho que temos por este moço, sempre tão sincero, justo e patriota, pois mesmo morando tanto tempo fora, está sempre antenado com nossas necessidades e o que vem passando por aqui, ele é sim um patriota de olhinhos puxados.
Desejo que ele seja sempre muito feliz lá no lugar onde escolheu para viver e que continue sendo esta pessoa querida e transparente que encanta a todos.
um beijo carioca pra você, Anne e pro Alexandre.

Bia Jubiart

Anne! Além de amiga, sou fã do Ale!

Quando comecei no meu blog entre outros, ele também foi um grande incentivador do meu trabalho. Amei saber mais sobre essa pessoa luz!

Parabéns pela excelente entrevista!

Bjos p/ os dois!!!

Beatriz Bragança

Querida Anne
Foi um prazer conhecer o Alexandre- um jovem aberto, inteligente, culto, bem formado.
Parabéns pelo seu modo de ser e de estar.
Obrigada pelas lições que transmitiu e pelo modo como se vê que quer mudar o seu país ,para que ele seja ainda mais grandioso.
Um abraço
Beatriz

Roselia Bezerra

Olá, queridos Anne e Alê
Já tinha uma ideia de como é o interior lindo do nosso amigo... os posts dele são cheios de inteligência e reflexão... bem como beleza extrema...
As cerejeiras do lugar dele me encantam... tenho alguns posts que ele escreveu e gravados no coração para sempre...
Um filho da net para mim...
Bjm fraterno de paz e bem aos dois

Compartilhe