• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

07/06/2014

Recanto entrevista Rita Vilela

Recanto Entrevista Rita Vilela

(Anne Lieri)




Rita, onde vc nasceu e onde mora hoje?

Sou portuguesa e nasci, e moro, nos arredores de Lisboa


Conte um pouquinho de sua infância para nossos leitores.


Foi uma infância tranquila. A minha mãe escrevia histórias em verso, para mim e para o meu irmão, e eu cresci no meio dessas histórias. E, talvez por isso, sempre gostei de sonhar, de imaginar enredos dos quais eu era uma das personagens…



E hoje? Como é sua vida, seu trabalho?

Sou casada, tenho um marido fantástico que me apoia em todos os meus projetos.
Trabalho ligada à formação e conjugo esse trabalho com a escrita e o exercício da terapia. E já descobri que há coisas que me realizam: trabalhar com pessoas e criar. E só tenho pena que o dia não tenha mais umas horas para fazer mais coisas, pois a gestão de tempo é sempre o ponto mais difícil.





Escrever é uma paixão ou é mais? Conte sobre como começou a escrever, com que idade.


Comecei cedo a criar pequenos contos e poemas. Mas o arranque “a sério” deu-se muito mais tarde, em 2003, com a escrita do meu primeiro livro As 7 Cores de Oníris, que iniciou uma saga de fantasia e aventura que considero uma das minhas obras mais especiais. E a partir dai nunca mais parei...


Tenho prazer em usar palavras para criar sonhos, para transmitir mensagens, para provocar mudanças.

Quando escrevo, entro no meu próprio mundo de fantasia e não é fácil arrancar-me de lá. Escrever é mesmo uma paixão, é um vício que não quero largar,

O objetivo é continuar! Continuar! Continuar! E a internacionalização é a próxima aposta.

Depois da publicação em Itália do “Corso di coraggio per bambini paurosi” (Curso De Coragem para Meninos com Medo, na versão portuguesa) estou em busca de editoras noutros mercados. Publicar no Brasil, país onde vivi durante 5 anos e do qual guardo a melhor das recordações, é um sonho.

O sonho seguinte é bem mais ambicioso: levar uma história minha a cinema ou televisão. Impossível? Talvez! Mas a forma como decorreu a minha estreia como escritora faz-me acreditar em sonhos impossíveis.

Para conseguir alcançar esses sonhos, procuro editoras, agentes e parcerias.





Você tem muitos livros publicados. Fale-nos de sua carreira e das alegrias e dificuldades que teve.


Depois de esperar 2 anos para receber o meu primeiro “não” de uma editora, mês e meio depois chegou o “sim”. Foi um momento muito especial, saber que iria publicar o meu primeiro livro, e a partir daí as oportunidades foram surgindo...

Nunca esperei que a minha carreira na escrita pudesse correr tão bem: 26 livros publicados em Portugal ao longo de 6 anos, um livro internacionalizado, editoras interessadas no meu trabalho (algumas de grandes grupos editoriais), várias reedições, leitores entuasiastas que me enviam mensagens fabulosas… os resultados ultrapassaram largamente todas as expetativas.

Gosto de escrever ao sabor da imaginação e as ideias vão surgindo, dando origem a livros de fantasia como a saga de Oníris ou Os descendentes de Merlin, que são os que mais gosto de escrever e os que me consomem mais tempo no processo de escrita.




A minha formação de psicologia empurra-me também para temas que possam ser úteis aos meus leitores. Foi assim que surgiu o livro Curso de Coragem para Meninos com Medo, que trabalha o medo e as formas de o gerir, bem como a coleção infantil Perguntas à Procura de Resposta que promove a reflexão e a comunicação à volta de questões e problemas dos mais pequenos.


Em As Cenas de K apostei em mostrar aos jovens como podiam usar a imaginação para serem mais felizes. E várias histórias dos livros de metáforas Histórias para Contar Consigo e Brincar com Coisas Sérias também foram pensados para ajudarem as pessoas a conhecerem-se melhor e lidarem com as suas dificuldades.
Para além destes, existem outros livros. Quem os quiser conhecer pode encontrar sinopses, excertos, fotos, vídeos e notícias, no blog 
ou pode espreitar a minha apresentação em:


Conte-nos  sobre o livro que está lançando. Do que se trata e como se inspirou? Onde podemos adquirir?

O meu livro mais recente, As 7 Cores de Oníris – A Grande Aventura, acabadinho de sair, é uma adaptação para banda desenhada, feita por Mitsu e Led, da minha saga de fantasia e aventura, a trilogia de Oníris.
A saga que lhe deu origem passa-se em Oníris, um mundo habitado por 7 raças humanas, criadas pelos Íris - os sete jovens deuses gémeos.

Porque as raças não se conseguiram entender, Oníris foi dividido em grandes territórios e as criaturas separadas de acordo com a cor dos seus cabelos. Porque os Íris não cuidaram do mundo que lhes foi oferecido, foram castigados, aprisionados pelo seu próprio pai.
Está na mão dos Homens a chave que tornará Oníris de novo uno e permitirá a libertação dos deuses... mas, para que isso aconteça, representantes das sete raças terão de se entender, ultrapassar montanhas, superar provas… E os deuses estão atentos, e tomam partido.


No 2.º semestre de 2014, virá a publicação do segundo volume da saga de fantasia histórica Os descendentes de Merlin que estou a gostar imenso de escrever.


Sobre o que fala o livro? Deixo a sinopse, para ajudar a responder a essa pergunta.
Foi nesse verão que descobri quatro coisas:
  • Tudo aquilo que sabia sobre Merlin, rei Artur, Távola Redonda, Dama do Lago, não se passou exatamente como aparece nos livros;
  • A magia existe, pode ser usada para criar textos mágicos, e transmite-se pelo sangue, de pais para filhos, ao longo de gerações;
  • Há uma linha que liga Templários, História de Portugal, Inquisição, Maçons… Uma linha que começa com Merlin, o mago e que chega aos dias de hoje, uma linha da qual os meus irmãos e eu passámos a fazer parte;
  • A coragem é uma qualidade que todos possuímos, e, quando é mesmo necessária, ela aparece.
Pistas sobre os locais onde podem ser adquiridos os meus livros 
estão aqui: 




Rita, escolhi essa música por ser tipicamente brasileira e o video ter belas paisagens! Espero que goste!


Musica preferida.


Não tenho uma música preferida, mas gosto muito de música brasileira… talvez por ter vivido no vosso país durante 5 anos.




Cor preferida.

Em pequena, era o laranja, tinha um relógio cor de laranja de que gostava muito e, por coincidência, laranja foi também a cor do curso que tirei (psicologia). Hoje, diria que as 7 cores do arco-íris estão em pé de igualdade, gosto de todas elas.




Animal preferido.
Gosto de animais com pelo, mas, de todos eles, talvez o cão o meu preferido


Lugar preferido.

Junto das pessoas que me são queridas.



Flor preferida.

As flores do campo, que não foram apanhadas.


Uma frase para nossos leitores.

Usem os livros para sonhar, para aprender, para crescer, para partilhar… porque um livro é tapete mágico que nos permite chegar a qualquer destino que escolhermos






Muito obrigada pela gentileza de sua entrevista.

Gostei demais de conhecer você! Uma escritora de talento com quem muito podemos aprender e de grande simplicidade!

Muito sucesso e alegrias em sua vida, Rita!

Beijos da Anne






13 COMENTÁRIOS:

✿ chica

Que linda entrevista e foi bom conhecer mais de Rita pra quem desejo o maior sucesso sempre! beijos às duas,chica

Rita Vilela
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Vilela

Obrigada, Chica, pelos votos de sucesso.
Tudo de bom!

Rita Vilela

Olá, Anne Lieri
Muito obrigada pela entrevista, e pela forma como tens acarinhado o meu trabalho.
Gostei muito
Um beijinho enorme

LUCONI MARCIA MARIA

Não conhecia a Rita, mas amei o seu jeito de ser, e o livro parece muito interessante, gostei da sinopse, aguça nossa curiosidade, muito sucesso a Rita e parabéns Anne pela excelente entrevista, beijos Luconi

Elvira Carvalho

Obrigada por me dar a conhecer uma escritora que não conhecia. Muito interessante a entrevista.
Um abraço e bom domingo.

ALUISIO CAVALCANTE JR

Querida amiga

O que mais
gosto destas entrevistas,
é saber
o quanto de humano
há nestes nomes
que se escondem
por entre personagens,
mistérios e fantasias,
e que maravilhosamente
e misteriosamente,
chamamos de autores.

São belas
as palavras
que nos acariciam
o coração...

Obrigado por semear o belo
em um mundo tão carente
de sentimentos bons.

Elvira Carvalho

Boa noite Anne.
Passei só para lhe dar uma informação. Aquela imagem é da Marina de Lagos, na ria que a Isabel
atravessou para ir à praia. É naquela cidade que se passam os primeiros episódios de Isabel.
Um abraço e uma boa semana

Rita Vilela
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Vilela

Obrigada, Luconi

É bom saber que gostaste da entrevista e que a curiosidade ficou desperta

Um beijinho amigo

Rita Vilela

Olá, Aluisio Cavalcante
As tuas palavras são lindas… No fundo, todos nós, cada um à sua maneira, pode semear o belo, e tu semeaste-o com esta mensagem 
Muito obrigada

Rita Vilela

Um abraço, Elvira Carvalho :)

Beatriz Bragança

Querida Anne
Fiquei orgulhosa por ter lido a bela entrevista de Rita.
Muitas felicidades e votos de que consiga transformar o seu grande sonho em realidade.Nada é impossível.
Um beijinho
Beatriz

Compartilhe