• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

23/09/2014

Esqisito

Esqisito
(Ana Paula Amaral)


Está achando esqisito? Melhor ir refletindo porque a ortografia pode ficar ainda mais esqizita.
Vem aí a Reforma da Reforma.

Essa notícia, tomei conhecimento, assistindo a um telejornal e confesso que nem dei-lhe importância e achei-a até simpática ao ouvir o entrevisado dizendo que "estavam trabalhando em ajustes para facilitar a alfabetização e o domínio da escrita". Num país ainda com tantos analfabetos, soou-me bonito.

Porém, nesta semana eu li sobre esta reforma no jornal e aí...

Omem, aqilo, ezersísio, xave e caxorro - são apenas alguns exemplos.

Na internet as informações são desencontradas, é um tal de não é bem assim, não foi falado isso, que mais parece algo a estar sendo feito às escondidas.

O Professor titular de língua portuguesa da Universidade Federal da Bahia, Dante Lucchesi, num excelente artigo que pode ser lido aqui e do qual eu coloco alguns recortes, faz-nos refletir e a partir de nomes e sobrenomes buscarmos estar atentos para o que estar porvir.

"Em 2012, no entanto, a presidente Dilma prorrogou a transição para 1 de janeiro de 2016. Faltou a ela a devida avalizção. A sociedade já havia atacado e assimilado o acordo. Os livros didáticos, as editoras, a imprensa, todos já haviam adotado o novo sistema ortográfico. A decisão do governo não foi ao encontro do que a sociedade já havia ratificado e criou um vácuo em torno da ortografia vigente no país.
Esse vácuo talvez possa explicar a infeliz iniciativa do senador Cyro Miranda (PSDB-GO), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, ao criar um grupo de trabalho com Ernani Pimentel e Pasquale Cipro Neto, propondo uma simplificação do sistema ortográfico brasileiro".
Dante Lucchesi

O artigo segue questionando o prejuízo que as gerações que forem alfabetizadas neste "novo"sistema ortográfico terão pois haverá grande dificuldade na leitura de obras do século 19.

Será que estamos exagerando e na verdade seria mesmo um facilitador essa reforma? Como se sentiram quando tiraram o ph da pharmacia para transformá-lo em farmácia?
Eu, reconheço a dificuldade da nossa ortografia, mas confesso que não quero essa simplificação. Gostaria sim de muitas formas de cultura acessíveis e que mostrasse a beleza e a riqueza da nossa língua.
Já está havendo uma simplificação em massa, por exemplo nas músicas, especialmente no funk.
"Nois vai e nois fica"e tantos outros "bagulho" com os quais muitos estão se expressando.

Eu sou contra essa reforma da reforma. Gostaria de saber a tua opinião.
Beijo!

* Abaixo a escritora Ana Paula me enviou dois links de textos que complementam o seu e são bem interessantes para que fiquemos por dentro da reforma outográfica:





Visite o blog da autora:




10 COMENTÁRIOS:

Poesia do Bem

A gente demorou para aprender e ainda hoje tem dúvida com relação a grafia, imagina se muda? pelo amor de Deus.Sou contraaa hehe

✿ chica

Muito legal essa crônica da Ana Paula e tomara isso não passe de mais uma invenção que não será aplicada... Seria o fim da picada...bjs, às duas, chica

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever

Bem diferente amiga Anne,pobre dos pequenos que estão começando e dos adultos para recomeçarem os estudos novamente.
bjs
Carmen Lúcia.

Flavia

muito legal essa cronica, adorei seu post!
bjs
Flavia
www.secret4beauty.blogspot.com
www.adoteumfocinhocarente.blogspot.com
loja virtual: www.adote.iluria.com

Tina Bau Couto

Muito boa a crônica!
Como as tantas que a Ana escreve, de cômicas, sociais a pessoais e poéticas como as de seu livro.
Importante a reflexão e a intervenção nessas mudanças exquizitaz e polemicaz.

jj

Amiga há anos foi assinado um Acordo Ortográfico entre Portugal, Brasil e os países africanos que tinham sido colonias portuguesas, Angola, Moçambique, Cabo Verde S. Tomé e Príncipe e Guiné. A grande maioria dos portugueses, especialmente os mais letrados, contestou, e muitos ainda não o utilizam. O certo é que quando chegou a data o Governo Português deu entrada em vigor do referido AO. Porém sabemos que apenas nós o estamos a utilizar. Nem Brasil, nem os países africanos o puseram em prática, tendo protelado a data da entrada em vigor. Posso dizer que nesse acordo não consta a grafia de nenhuma dessas palavras. Mas existem coisas que nós não entendemos bem. Poe exemplo cor de rosa, perdeu o hífen, e cor-de-laranja mantém o hífen. O que acontece com frequência comigo e penso que com muita gente, é o seguinte. Escrevo um texto no Word, e escrevo uma palavra que me aparece como erro. Faço a correção que o Word pede e quando passo o texto para o blogue a tal palavra aparece como erro. Volto a meter a correção e ela aparece escrita como eu o tinha feito inicialmente.
Um abraço

Ana Paula

Anne vamos melhor cruzar os dedinhos para que não reformem a nossa ortografia. Ainda que ela seja complexa, é patrimônio. Se a maioria de nós aprendeu, outros, os mais jovens também podem aprender. A base está enfraquecida e querer fortalecê-la dessa forma, no meu pensar seria um desastre.
Gostei de ler o comentário vindo lá de Portugal.
Um beijo!

Roselia Bezerra

Olá, queridas Anne e Ana Paula
A Ana é ótima no que escreve...
Como professora de Português, estou perplexa mas entendendo a questão da fonética pra facilitar as crianças (o nosso idioma é um dos mais difíceis do mundo)...
No futuro, os avós não poderão escrever pros netinhos e bisnetinhos... rs...
Bjm fraterno e florido

Maria Rosa Sonhos

Anne! Eu não sabia desse absurdo. Tomara mesmo não seja verdade. Beijo! Renata

Elvira Carvalho

Amiga, ontem deixei aqui um comentário com o perfil do meu marido, JJ pois ele esteve a ver o correio, não saiu do perfil e eu não reparei. Depois do comentário ter entrado, voltei e expliquei o que se passou, mas parece que o comentário não entrou.
Um abraço

Compartilhe