• Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Anne Lieri

  • Evanir Garcia

  • Jonas Sanches

  • Franciangela

  • Nato Matos

14/07/2012

Sombras no lado escuro do corredor










( Arnoldo Pimentel)



Nada está escrito
As páginas do caderno que ainda não foram abertas
Estão em branco
Assim como as páginas que foram escritas
Apagadas e viradas
Com o peito perfurado
As folhas continuarão caindo das árvores
Das árvores sem vida
E da árvore da vida
Os corpos são deixados ao acaso
Sobre a relva seca
Sob os edifícios cinza
Que nem os olha
Enquanto cojulgam o verbo
Amar





Visite o autor: Arnoldo Pimentel




3 COMENTÁRIOS:

Tunin

A indiferença é uma coisa gritante. Muito bom o poema do Pimentel.
Abração.

LUCONI

Amiga que excelente poema do Arnoldo, mostra-nos a indiferença dos seres, uns com os outros e também que não importa o que aconteça a vida continua o tempo passa nos obrigando a viver, beijos Luconi

Luciana Santa Rita

Oi Anne,

Espero que esteja aproveitando o descanso.

Quanto ao texto, gosto de páginas em brancos e, entendo borrão como tentativa de seguir contra indiferença.

beijos.

Lu

Compartilhe